Casas conectadas podem ser hackeadas?



Os dispositivos para casa inteligente—ou smart home devices—são uma das principais novas tendências tecnológicas. Cada vez mais pessoas investem em aparelhos como frigoríficos inteligentes ou smart TVs para melhorar a sua vida doméstica e aumentar o seu conforto. Mas será que estes dispositivos nos deixam particularmente vulneráveis a ataques cibernéticos? E o que podemos fazer para lidar com potenciais ameaças?


Dispositivos para casas inteligentes são vulneráveis a ataques cibernéticos


Os dispositivos para casa inteligente não são à prova de hackers, muito pelo contrário. Como estão habitualmente conectados à Internet, encontram-se expostos aos mesmo riscos que ameaçam os nossos computadores e telemóveis. Adicionalmente, os dispositivos para casa inteligente estão normalmente menos protegidos contra ameaças. Podem ser mesmo servir de “porta de entrada” para ataques de malware, roubo de dados, ou controlo à distância.

Câmaras de segurança com ligação à Internet podem ser vigiadas por hackers, smart speakers podem ser manipuladas com o uso de lasers, e tomadas inteligentes são suscetíveis a ataques. Não existem dúvidas que os dispositivos para casa inteligente são extraordinariamente vulneráveis, mas será que isso quer dizer que devemos desistir de investir numa smart home?

De maneira nenhuma. Existem muitas vantagens associadas ao uso de aparelhos para casa inteligente, e basta seguir algumas regras básicas de segurança digital para os protegermos contra hackers e ataques cibernéticos. Estas são as nossas principais recomendações:


1. Proteja a sua rede de Wi-Fi com um novo nome e uma senha forte


O primeiro passo para uma smart home segura passa pela criação de uma rede de Wi-Fi doméstica segura. A maior parte dos encaminhadores conta com um nome standard (como SSID), que pode ser facilmente identificado por hackers. Por esta razão, mudar o nome da rede de Wi-Fi é uma forma simples de aumentar a sua segurança. Uma senha forte também pode fazer toda a diferença. Evite senhas genéricas como “admin” ou “1234” para diminuir a sua exposição a ataques cibernéticos.


2. Utilize uma VPN


Uma VPN—ou virtual private network—é uma rede de comunicações privada que pode diminuir consideravelmente a sua exposição a ataques online. Uma VPN funciona porque cria uma rede privada no contexto de uma rede pública (como a Internet), gerando um “túnel” entre os seus dispositivos e os servidores encriptados geridos pelo provedor da VPN. Instalar uma VPN nos seus dispositivos mais sensíveis é um dos métodos mais eficazes para aumentar a segurança de uma smart home. Como todos os sistemas informáticos, uma VPN não é absolutamente infalível. No entanto, oferece uma camada de segurança extremamente robusta e difícil de desbloquear que pode ser mais que suficiente para manter os hackers à distância.

No que toca à proteção de dispositivos para casa inteligente, uma VPN possui a vantagem de proteger todos os aparelhos que se encontram ligados à sua rede doméstica de Wi-Fi. Enquanto que a maior parte do software de segurança online se encontra limitado a um só dispositivo, uma VPN consegue proteger todos em simultâneo! Ou seja: é possível proteger o seu computador, telemóvel, e frigorífico inteligente (entre outros) a partir de uma só conta.


3. Duplique a sua segurança com autenticação múltipla


Já quase todos usamos autenticação múltipla. Quando acedemos a contas privadas em sites particularmente sensíveis (como o site do nosso banco), somos muitas vezes forçados a confirmar a nossa identidade ao introduzir um código que nos foi enviado para o telemóvel (por exemplo). No seu âmago, é disto que se trata a autenticação múltipla. Existem cada vez mais serviços de segurança online que nos permitem associar a autenticação múltipla a todo o género de contas e senhas de acesso, efetivamente duplicando a nossa segurança no acesso a determinados sites e redes virtuais. Sem autenticação múltipla, um hacker necessitaria apenas de invadir um dispositivo com sucesso para ter acesso a todos os seus dados privados. Com autenticação múltipla, o mesmo hacker precisaria de aceder a vários dispositivos, ou até mesmo a informações privadas que não se encontram disponíveis no espaço virtual.


4. Não deixe as atualizações para mais tarde


Existe uma tendência generalizada para ignorar atualizações. No entanto, manter software atualizado é extremamente importante para lidar com ataques cibernéticos.

Isto é particularmente importante no que ao software de segurança online diz respeito. Para verificar quais são os programas no seu computador ou telemóvel que precisam de ser atualizados, basta utilizar o seu antivírus de preferência para fazer uma inspeção de rotina.


5. Atualize o seu router


Software desatualizado pode ser um sinal de perigo, e o mesmo princípio aplica-se a hardware desatualizado. Se o seu router é o mesmo há vários anos, comprar um router novo que se encontre mais bem preparado para lidar com ameaças é sempre uma boa ideia. Protocolos de segurança desatualizados são sinónimo de potenciais quebras de segurança, e manter o seu hardware em dia pode ser tão importante como manter o software do seu computador/telemóvel atualizado.


6. Crie mais do que uma rede de Wi-Fi


É um dos métodos mais eficazes para aumentar a segurança dos seus dispositivos para casa inteligente, e trata-se mesmo de uma recomendação que já foi feita pelo FBI. Ao criar mais do que uma rede doméstica de Wi-Fi, você tem a possibilidade de definir que dispositivos se encontram em que rede. Assim, é possível separar os seus aparelhos para smart home do seu computador e telemóvel. Ou seja: mesmo que o seu frigorífico inteligente ou smart TV sejam relativamente vulneráveis, eles não vão constituir uma “porta de entrada” para ataques a aparelhos que contêm dados realmente importantes. Esta técnica também pode ser utilizada para criar uma rede de Wi-Fi para convidados. Os seus amigos e familiares podem deste modo aceder à Internet sem que você se tenha de preocupar acerca da segurança dos seus telemóveis.


7. Mude senhas com frequência


Ainda que possa ser um pouco enfadonho, é fulcral mudar as suas senhas rotineiramente. Para evitar sobrecargas, concentre-se nas mais importantes, como a senha do seu e-mail ou do seu banco. Finalmente, evite utilizar a mesma senha (ainda que com variações ligeiras) em vários sites.


Gostou deste artigo? Entre em contato conosco




Fonte: telemoveis

2 visualizações